Colégio Salesiano Região Oceânica
Ícone com a palavra confira, relacionada a matéria principal
Home Eventos Diversos 2017 Matéria: Academia Brasileira de Letras

Academia Brasileira de Letras

O Salesiano prestigiou o ex-aluno Marco Lucchesi em sua cerimônia de posse da presidência da ABL


Academia Brasileira de Letras

    Warning: opendir(destaques/destaque_801/galeria_801/thumb): failed to open dir: No such file or directory in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 334

    Warning: readdir() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 335

    Warning: sort() expects parameter 1 to be array, null given in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 338

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 339
Confira em tamanho original

Com muita honra, o Salesiano, representado por seu Diretor Geral, padre Márcio Marçal, recebeu o convite para a cerimônia de posse de seu ex-aluno, Marco Lucchesi, eleito presidente da Academia Brasileira de Letras. O evento aconteceu no dia 14 de dezembro de 2017, em solenidade no Petit Trianon.

“O Colégio Salesiano Santa Rosa saúda o expoente ex-aluno, Marco Luchesi, recém eleito presidente da Academia Brasileira de Letras, por seu discurso de posse manifestamente humanista e pleno dos valores de Dom Bosco. Luchesi honra-nos por ser exemplo de bom cristão e honesto cidadão consciente de seus deveres e responsabilidades com a educação, a melhoria de seu estado, do Brasil e da sociedade como um todo. Sentimo-nos orgulhosos e plenos de satisfação com esse filho ilustre desta casa Salesiana” –declarou a equipe diretiva do Salesiano SR.

Em seu discurso de posse, Lucchesi afirmou: “Penso o Brasil como um livro em construção, e desde um ponto zero, talvez, em cujas páginas segue o desejo de inclusão de muitas vozes, num concerto polifônico, estridente, a princípio, e fora do compasso, fruto de uma espera infinita pelo fim da desigualdade. Continuemos juntos. A tolerância é um bem que se constrói em rede, em torno de estatutos de emancipação”.

O novo Presidente disse, ainda: “Sonho um livro de muitas páginas, votado a uma vasta vocação republicana, pela qual lutaram tantos Acadêmicos. Não sei dizer onde começam e terminam os grafites urbanos, os poemas que redimem a crispação de nossas almas e de nossas casas, os desenhos rupestres da Serra da Capivara, a liberdade esboçada nas paredes dos presídios, a leitura do mundo das crianças do asfalto e da favela, das terras quilombolas e das nações indígenas, com suas quase 300 línguas praticadas ainda hoje.  Um livro sem escravos análogos e digitais”.

“Um livro de muitos autores, com muitos ângulos, espelhado, onde cada qual se reconheça em suas páginas, como fizeram Lima Barreto e Machado de Assis. Como se fora o manto de apresentação de Arthur Bispo do Rosário. Uma cartografia total. A memória de tudo, em todos. A Academia, diante disso, é um grafite luminoso, abrindo alguns capítulos, sobre muros que se abatem e passagens para o diálogo, sinal de paz, breve tatuagem no corpo do país, soma de vozes, concerto inacabado, saudoso do futuro”.

A Secretária-Geral, Acadêmica Nélida Piñon, apresentou o Relatório do ano de 2017, resumidamente, e disse, na abertura: “A Academia encarna a continuidade de valores e de espírito público, sem abdicar jamais de seus compromissos com a cultura brasileira, a literatura e a língua portuguesa. Assim, em obediência a esta tradição, damos conta, aqui sumarizadas em extremo, as atividades acadêmicas desenvolvidas este ano”.

E concluiu: “Minhas palavras finais como Secretária-Geral destinam-se a enaltecer o afeto que enlaçou esta Diretoria que ora se desfaz. Desejo ao Presidente Marco Lucchesi, cujo talento brasileiro e universal saúdo com a veemência que a admiração, a amizade e a esperança, conjugadas, exigem. Prezados Acadêmicos e amigos, o que mais lhes dizer para assegurar a todos que fomos felizes servindo a esta Casa de Machado de Assis?”.

Recentemente, Lucchesi deu uma entrevista ao Jornal O Fluminense em que falou com carinho do Colégio. Confira: http://www.ofluminense.com.br/…/c…/lucchesi-vai-presidir-abl

SAIBA MAIS:

MARCO LUCCHESI – Sétimo ocupante da cadeira nº 15 da ABL, eleito em 3 de março de 2011, na sucessão de Pe. Fernando Bastos de Ávila, Marco Lucchesi, nascido no Rio de janeiro em 9 de dezembro de 1963, é o mais jovem Presidente da Academia Brasileira de Letras dos últimos 70 anos. O mais novo, em toda a história da ABL, foi o Acadêmico Pedro Calmon (1902-1985), que assumiu em 1945, com 43 anos de idade.

Escritor muitas vezes premiado, tanto no Brasil quanto no exterior, Lucchesi é autor de uma obra que abarca poesia, romance, ensaios, memórias e traduções. Publicou mais de 40 livros ao longo de sua trajetória. Primeiro filho brasileiro de uma família italiana, o novo Presidente da ABL notabilizou-se pela criatividade marcada por uma sólida formação intelectual – que inclui o conhecimento de mais de 20 línguas.

Professor titular de Literatura Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Lucchesi tem pós-doutorado em Filosofia da Renascença na Alemanha. Formado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), possui mestrado e doutorado em Ciência da Literatura.

Colaborador de importantes órgãos de imprensa, atualmente é colunista do jornal O Globo. Foi editor das revistas Poesia Sempre (Biblioteca Nacional), Tempo Brasileiro e da Revista Brasileira (ABL). É também conhecida a militância de Lucchesi em defesa dos direitos humanos – destaca-se sua participação em projetos literários e educacionais em presídios do Rio de Janeiro.

Seus livros mais recentes são O carteiro imaterial (ensaios), Clio (poesia) e O bibliotecário do imperador (romance). Lucchesi ganhou três Prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro.

Fonte: ABL

Singela homenagem do Salesiano ao indelével aluno Marco Lucchesi:

Marco


Postado em 15 de Dezembro de 2017 - Categoria: Família e Escola