Colégio Salesiano Região Oceânica
Ícone com a palavra confira, relacionada a matéria principal
Home Eventos Diversos 2017 Matéria: Salesiano na mídia

Salesiano na mídia

O Salesiano foi destaque na Revista O Fluminense, com ênfase no tema “altas habilidades e superdotação”


Salesiano na mídia

    Warning: opendir(destaques/destaque_550/galeria_550/thumb): failed to open dir: No such file or directory in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 334

    Warning: readdir() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 335

    Warning: sort() expects parameter 1 to be array, null given in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 338

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 339
Confira em tamanho original

O Salesiano Santa Rosa foi destaque em uma matéria da Revista O Fluminense. Com o título “Um olhar sobre o outro”. A matéria abordou ações pedagógicas realizadas para promover a aceitação e combater o preconceito. Ressaltando o Salesiano, o texto falou de “altas habilidades e superdotação”, incluindo entrevistas com a direção pedagógica, aluna e professora do Colégio.

 

Confira o conteúdo da matéria:

 

“...como transformar a escola em um ambiente acolhedor das diferenças e impedir que essas crianças sofram e sejam prejudicadas em sua educação? Para educadores, essa questão vai muito além do ambiente educacional e abrange a família e as políticas públicas. Ainda assim, eles também concordam que o papel da escola é fundamental na construção da maneira como as diferenças devem ser percebidas pelos jovens. (...)

 

Para Simone Araújo Moreira, diretora-pedagógica do Colégio Salesiano Santa Rosa, promover a inclusão é uma questão de cidadania. “A exclusão pode ocorrer em brincadeiras, sobretudo entre adolescentes que se relacionam em grupo e têm mais necessidades de serem aceitos. Então, às vezes, acontece de deixarem alguém de fora. Como reflexo, esse adolescente sente tristeza e se coloca de lado, o que pode comprometer seu rendimento escolar, gerar recusa e tristeza de ir para a escola. Entre outras ações, é importante contar com um serviço de orientação educacional que esteja em contato com as turmas, que promova rodas de discussões e dê subsídios aos pais, através de textos, vídeos, entre outros materiais para trabalhar a questão”, afirma.

 

Todos os assuntos precisam transitar no cotidiano escolar porque fazem parte da vida dos alunos, mas, para a diretora-pedagógica do Salesiano, é errado atribuir somente à escola a responsabilidade de educar para as diferenças. “São assuntos que devem transitar em todas as esferas. Não adianta delegar as demandas para a escola se a sociedade não está comprometida com as mesmas. É importante ter discussões como debate de gênero na escola sim, mas não é uma responsabilidade somente nossa promover essa reflexão, por exemplo. Não pode ser unilateral, é uma questão social. No nosso caso, somos uma escola católica, mas aqui há culturas e orientações diversas. Buscamos construir o respeito e a troca. O que nos rege é a convivência e não a imposição. Temos igualdade nas diferenças”, explica.

 

Nem sempre a necessidade de inclusão está relacionada ao preconceito com minorias, e pode surgir, inclusive, do que a princípio parece um fator que acarreta apenas benefícios. Conhecido como altas habilidades e superdotação, as crianças com extrema facilidade para aprender estão o tempo todo um passo à frente dos outros colegas, por isso, sempre representaram um desafio para a educação. Como no caso da aluna do nono ano do Ensino Fundamental II do colégio Salesiano, Elena Cardoso, de 14 anos.

 

Medalha de ouro da última olimpíada brasileira de astronomia e recém-classificada para a segunda fase de matemática, apesar do intelecto diferenciado, a vida pessoal, de acordo com a estudante, segue tranquila, sendo o grande desafio conciliar seu ritmo com os dos outros colegas na escola.

 

“Aprendi a esperar os amigos a me acompanharem, já entendi que é mais fácil para mim. Antes, eu ficava ansiosa, mas acabei compreendendo que muita gente precisa da repetição para entender”, explica Elena.

 

A diversidade de atividades oferecida pela escola é o que favorece a integração e o estímulo de estudantes com essa característica, como explica Fernanda Serpa, mãe da Elena.

 

“A escola oferece modalidades esportivas, participação em olimpíadas internas e externas, laboratórios, clube de leitores, teatro, banda, monitoria voluntária e feiras científicas, propiciando ao aluno um ambiente que estimule suas habilidades”, ressalta.

 

A matéria foi publicada neste domingo, 22/01, 2017, no Caderno Especial de Educação.

Confira a na íntegra: Revista O FLU - UM OLHAR SOBRE O OUTRO (páginas 12 e 13).


Postado em 25 de Janeiro de 2017 - Categoria: Família e Escola